Satsumaimo no remon ni (batata-doce cozida com limão)

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Ou você pode simplesmente copiar e colar na sua Rede Social

Satsumaimo no remon ni (batata-doce cozida com limão)

9 de janeiro de 2019

Descrição

Compartilhar

Esta batata-doce cozida em caldinha de limão é figurinha fácil em bentôs (aquelas marmitas japonesas deliciosas). É super simples de fazer, e tão gostosa!

Eu a conheci pedindo comida no trabalho – mais especificamente, ao pedir um bentô no U-mami, um restaurante incrível que serve o equivalente japonês a comidinha de vó (comidinha de batian, vai). O dono, o Sr. Takashi, veio de Hiroshima há cinco anos e é uma simpatia. E a comida… ah, a comida. Que maravilha. É a legítima comida caseira japonesa.

Mas vamos à batata-doce, sem mais demora! A receita é da também japonesa Nami, autora de um blog que eu adoro: o Just One Cookbook.

Receita daqui

Ingredientes

1 batata-doce média (~250 g)
1 xícara de água
½ limão (usei tahiti)
2 colheres de sopa de açúcar

Modo de Preparo

Um dos segredos dessa receita é o cozimento, que é em fogo baixinho, e o uso de uma tampa chamada otoshibuta. Essa tampa é um pouco menor que o diâmetro da panela e fica em contato direto com o alimento durante o cozimento, deixando o vapor escapar pelas laterais.

Você pode improvisar a sua assim: corte um pedaço de papel alumínio com pouco mais que o dobro do diâmetro da panela que vai usar. Dobre ao meio e acomode dentro da panela, no fundo. Dobre as pontas para formar um disco de papel alumínio. Retire da panela e, com um garfo para carnes, espete o papel alumínio para fazer furos que facilitem a liberação de vapor. Tchan! Sua otoshibuta improvisada está pronta para uso!

Lave a batata-doce em água corrente, esfregando a casca com o auxílio de uma escovinha. Com um descascador de legumes, remova algumas tiras da casca no sentido do comprimento para criar listras decorativas. Apare as duas extremidades.

Corte a batata-doce em rodelas de 1 cm de espessura. Deixe as rodelas de molho em água por 5 minutos (é para remover o excesso de amido). Em seguida, escorra.

Em uma panela média, adicione 1 xícara de água, 2 colheres de sopa de açúcar e o suco de ½ limão.

Adicione as rodelas de batata-doce (sem sobrepô-las) na panela. Coloque por cima a otoshibuta. Deixe em fogo médio até levantar fervura.

Depois que ferver, uma espuma branca deve se formar sobre a otoshibuta. Remova-a com uma escumadeira. Abaixe o fogo ao mínimo. Cozinhe por 15 a 20 minutos.

Quando o tempo de cozimento estiver quase terminando, teste a batata-doce – levante a otoshibuta e espete uma rodela com um garfo ou palito de dentes. Se ela ceder com facilidade, está pronto.

Deixe que a batata-doce esfrie completamente por, pelo menos, 2 horas – assim, os sabores têm tempo de se harmonizar. Você pode servi-la em temperatura ambiente ou fria, direto da geladeira.

Sirva com comidinhas de bentô – arroz japonês, kimpira, karaague ou tonkatsu…. ou com uma xícara de chá verde – sabe que também fica bom?

Observações Finais

Este post não é patrocinado! Não estou recebendo nada para falar do U-mami. Eu simplesmente gosto muito da comida de lá e acho que vale a pena provar.

anterior
Butter mochi
próximo
Bolo de batata-doce e coco
anterior
Butter mochi
próximo
Bolo de batata-doce e coco

Adicionar um comentário