Calda de tâmaras (date syrup)

Compartilhe nas suas Redes Sociais:

Ou você pode simplesmente copiar e colar na sua Rede Social

Calda de tâmaras (date syrup)

14 de julho de 2017

Descrição

Compartilhar

De uns tempos para cá, tenho feito muitas experiências utilizando tâmaras secas como adoçante. Elas têm me impressionado muito: realmente dão conta de adoçar bolos e afins sem grande impacto no sabor – diferentemente das passas, que adoçam bem, mas deixam um gosto característico (que eu adoro, mas nem todo mundo curte).

Há algumas semanas, um dos sites que visito regularmente publicou um passo a passo sobre como usar as tâmaras para criar uma calda para ser usada da mesma forma que a calda de agave, o xarope de bordo, o mel ou o melado.

É muito fácil de fazer, só é um pouco trabalhoso coar a calda. E, claro, não rende muito. Mas é uma opção bacana de adoçante natural: não tem sabor residual esquisito (como a estévia), o preço não é tão pavoroso (como o xarope de bordo) e o sabor é suficientemente discreto pra não interferir no gosto das receitas (como o melado ou o mel).

Gostou? Então, fique de olho. Vai ter receita usando calda de tâmara como adoçante. 😉

Receita daqui

Ingredientes

500 g de tâmaras secas sem caroço
1 L de água filtrada

Modo de Preparo

Com uma tesoura de cozinha, corte as tâmaras em pedaços (unte as lâminas com um pouco de óleo, se elas estiverem muito grudentas). Coloque-as em uma panela grande de fundo grosso, adicione a água e leve ao fogo baixo. Deixe ferver por meia hora, mexendo ocasionalmente só para o caso de algo grudar.

Desligue o fogo e espere o conteúdo da panela amornar um pouco. Leve tudo ao liquidificador ou ao multiprocessador e bata por, pelo menos, 1 minuto. O objetivo é obter um purê liso.

Usando um pedaço de musseline, uma peneira finíssima forrada com gaze ou uma ‘panela furada’ (coador de voal para o preparo de leites vegetais), coe o purê sobre uma tigela, apertando bem até extrair o máximo de líquido que puder. Se quiser, leve esse líquido novamente ao fogo baixo para que ele ferva um pouco e adquira consistência semelhante à do mel.

Acondicione em um pote de vidro com tampa e conserve na geladeira – dura algumas semanas. Rende cerca de 500 mL.

Observações Finais

* O resíduo da coagem fica bem seco e é um pouco menos doce do que a calda ou do que as tâmaras in natura. Você pode aproveitá-lo misturando um pouco de calda pronta até obter uma pastinha. Coma com torradas como você faria com uma geleia 😉

* Não se convenceu com a ideia da pastinha? Então toma essas bolinhas de cacau e tâmaras.

anterior
Frango Tikka Masala (na slow cooker)
próximo
Bolo/brownie de chocolate com batata-doce
anterior
Frango Tikka Masala (na slow cooker)
próximo
Bolo/brownie de chocolate com batata-doce

Adicionar um comentário